Biblioteca Virtual

Trabalhos, pesquisas e publicações científicas

Preparamos esta biblioteca virtual com o objetivo de ampliar a divulgação do conhecimento produzido no meio acadêmico sobre assuntos diversos relacionados ao território do Geoparque Caminhos dos Cânions do Sul.

Aqui, você encontra excelentes trabalhos acadêmicos, pesquisas científicas e publicações especiais. Os documentos reúnem informações qualificadas elaboradas por especialistas em temas como geodiversidade, biodiversidade, antropologia, arqueologia, paleontologia, educação, história, cultura, povos e comunidades tradicionais, entre outros.

Boa leitura!

A origem geológica das formações de Torres – RS

Descreve as formações rochosas em Torres – RS e como ocorreu sua gênese.

Conhecimento Ecológico Local (CEL) na Avaliação do Estado de Conservação de Espécies de Interesse Socioeconômico: Integrando Saberes na Gestão do REVIS Ilha dos Lobos

A avaliação do estado de conservação de espécies da fauna brasileira, atribuição do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), tem representado um esforço imenso e qualificado, agregando centenas de pesquisadores de diferentes instituições. Entretanto, neste processo, ainda é um desafio o envolvimento do conhecimento ecológico local (CEL) de usuários das espécies, o que tende a possibilitar tanto um arcabouço maior de informações para a avaliação quanto a ampliação da articulação social e institucional para a conservação. Essas possibilidades também são almejadas para a gestão participativa de unidades de conservação (UCs), visando maior eficiência e eficácia de suas metas em suas regiões de influência. Neste trabalho, relata-se a aplicação de uma metodologia que pode ser útil nestes dois escopos – no processo de avaliação do estado de conservação de espécies da fauna e na gestão de UCs.

Palavras-chave: Conhecimento ecológico local; avaliação do estado de conservação de espécies; gestão participativa de unidades de conservação; risco de extinção

O Turismo Embarcado no Refúgio de Vida Silvestre da Ilha dos Lobos, Sul do Brasil: Estado Atual e Perspectivas Futuras

A visitação pública em áreas marinhas protegidas no Brasil tem aumentado de forma expressiva nas últimas décadas. Contudo, para que as atividades de visitação possam ter resultados positivos em termos de sensibilização ambiental e conservação da biodiversidade, é necessário que seja seguida uma série de princípios e diretrizes diretamente ligados ao turismo sustentável. Diante
desse contexto, o objetivo do estudo foi caracterizar o turismo embarcado no Refúgio de Vida Silvestre (REVIS) da Ilha dos Lobos, no sul do Brasil, e descrever a percepção e o conhecimento dos turistas sobre esta atividade e a unidade de conservação. Para tanto, foram acompanhados 36 passeios turísticos entre 2016 e 2018, durante os quais 109 turistas foram entrevistados.

AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DE GEOMORFOSSÍTIOS NO GEOPARQUE CAMINHOS DOS CÂNIONS DO SUL – SC/RS

No território do Geoparque Caminhos dos Cânions do Sul, o mosaico da geodiversidade é composto por sítios de diversos interesses, como geológico, paleogeográfico e geomorfológico. O propósito do presente trabalho é avaliar quantitativamente geomorfossítios
no território do GCCS, através de metodologia que preconiza o uso do Valor Científico que é estabelecido a partir de critérios como raridade, integridade, representatividade e valor paleogeográfico. Para tal, foram selecionados ao menos um geossítio de interesse
geomorfológico de cada unidade geomorfológica presente no GCCS, sendo eles: turfeira confinada do Planalto dos Campos Gerais, Cachoeira da Cortina na Escarpa da Serra Geral, Morro Itaimbé nos Patamares da Serra Geral, contato entre depósito coluvial e aluvial, terraço fluvial, ambos localizados na Planície Colúvio-aluvionar e dunas de Itapeva na Planície Costeira.

PALAVRAS-CHAVE: Geossítio; inventário; patrimônio geomorfológico.

SUSCETIBILIDADE À OCORRÊNCIA DE ENXURRADAS NO GEOPARQUE CAMINHO DOS CÂNIONS DO SUL (RS/SC)

Diversos estudos têm apontado a forte relação entre os parâmetros morfométricos e a deflagração de processos hidrogeomorfológicos. No Geoparque Caminhos dos Cânions do Sul – GCCS (RS/SC) os geossítios abrangidos são periodicamente palco de eventos hidrogeomorfológicos de grande magnitude e, tendo em vista sua súbita ocorrência e difícil previsibilidade, as enxurradas são um dos processos que resultam em maior perigo aos visitantes. Dessa forma, este trabalho busca analisar, através da morfometria, a suscetibilidade ao desenvolvimento de enxurradas no território do GCCS, com vistas a contribuir para a visitação segura dos geossítios e futuros planos preventivos de redução de riscos. A avaliação da suscetibilidade foi realizada a partir da geração de 13 parâmetros morfométricos para 25 bacias de drenagens, com o intuito de hierarquizá-las através de sua
suscetibilidade. Além disso, o resultado da suscetibilidade das bacias foi confrontado com o registro de ocorrências de enxurradas e com a localização dos geossítios, demonstrando uma elevada suscetibilidade para grande parte das bacias do GCCS que, em sua maioria, possuem geossítios localizados em sua área de drenagem.

PALAVRAS-CHAVE: Processos hidrogeomorfológicos; Morfometria; Geossítios.

INFLUÊNCIA DA ÁREA DE CONTRIBUIÇÃO NO PLANALTO EM BACIAS HIDROGRÁFICAS EM ESCARPAMENTOS DE MARGENS PASSIVA: IMPLICAÇÕES PARA ANÁLISE DA SUSCETIBILIDADE A CORRIDAS DE DETRITOS

No Brasil, a ocorrência de corridas de detritos é típica dos escarpamentos de margem passiva, que possuem sua evolução intimamente relacionada às capturas fluviais. Estas, ao promoveram o recuo e a dissecação das escarpas, alteram a morfologia e a dinâmica fluvial das bacias hidrográficas, refletindo diretamente em suas características morfométricas. Dessa forma, este trabalho possui como objetivo comparar a suscetibilidade a corridas de detritos de 59 bacias, com e sem a área de captura no planalto, localizadas no Geoparque Caminho dos Cânions do Sul (SC/RS), através de um método semi-quantitativo baseado na utilização de parâmetros morfométricos. Os resultados apontam para a importância das capturas fluviais na dinâmica do relevo e a elevada suscetibilidade de grande parte das bacias analisadas, indicando resultados mais confiáveis quando consideradas as bacias sem a área de drenagem no planalto.

Palavras-chave: Processos hidrogeomorfológicos; Morfometria; Capturas fluviais.

SUSCETIBILIDADE AO DESENVOLVIMENTO DE CORRIDAS DE DETRITOS NO TERRITÓRIO DO GEOPARQUE CAMINHOS DOS CÂNIONS DO SUL (RS/SC)

Diversos estudos têm apontado a forte relação entre os parâmetros morfométricos e a deflagração de processos hidrogeomorfológicos, como as corridas de detritos. Tendo em vista a proposta de criação do Geoparque Caminhos dos Cânions do Sul (RS/SC) em uma área historicamente atingida por estes processos, este trabalho tem como objetivo avaliar a partir da morfometria a suscetibilidade ao desenvolvimento de corridas de detritos no território do Geoparque. Para tanto, foram delimitadas 25 bacias hidrográficas na área de estudo, para as quais foram gerados 12 parâmetros morfométricos. Por fim, foram confrontados o resultado da suscetibilidade, o registro de ocorrências e a localização dos geossítios. Dessa forma, os resultados apontam para uma elevada
suscetibilidade a corridas de detritos em bacias com a presença de geossítios, comprovando a necessidade de estudos sobre a suscetibilidade a estes processos para a elaboração de um plano preventivo de redução de riscos e desastres.

Palavras-chave: Corridas de detritos; Morfometria; Suscetibilidade.

AMEAÇAS AO GEOPATRIMÔNIO DO GEOPARQUE CAMINHOS DOS CÂNIONS DO SUL (RS/SC)

Diversas são as ameaças à geodiversidade que dificultam a conservação da diversidade das feições naturais, sendo elas de origem natural ou antrópica. Dentre as iniciativas de maior destaque em relação à geoconservação estão os geoparques, que associam o turismo à conservação do patrimônio geológico em uma área bem delimitada e que contém um número notável de geossítios, dentre eles o Geoparque Caminhos dos Cânions do Sul (GCCS), localizado nos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Dessa forma, esta pesquisa teve como objetivo identificar as ameaças, naturais e antrópicas, à geodiversidade do território do
GCCS, bem como seus fatores limitantes e impulsionadores, sendo essa uma etapa essencial para a gestão do geoparque. Como resultado, foi identificado que, no geral, os geossítios encontram-se bem conservados, entretanto, as principais ameaças antrópicas identificadas foram as pichações, a expansão urbana e a atividade mineradora, enquanto as naturais estão relacionadas à movimentos de massa, enxurradas, inundações e erosão. Contudo, observa-se que em grande parte as ameaças são condicionadas pela facilidade de acesso, existência de áreas de conservação e, sobretudo, pela compartimentação do relevo.

Palavras-chave: Geodiversidade; Geossítios; Ameaças antrópicas.

ROTEIRO GEOCIENTÍFICO COMO INSTRUMENTO DE VALORIZAÇÃO DA GEODIVERSIDADE: (RE)CONHECENDO O GEOPATRIMÔNIO DO GEOPARQUE CAMINHO DOS CÂNIONS DO SUL EM TIMBÉ DO SUL – SC/RS

A geodiversidade tem sido tema de muitos estudos recentes, despertando o interesse de pesquisadores especialistas e de um público não especializado, sendo que a valorização da mesma pode ser contemplada em atividades ligadas ao turismo. Este trabalho tem por objetivo propor um roteiro geocientífico com a finalidade de servir de instrumento de valorização da geodiversidade. A área de estudo é o município de Timbé do Sul – SC, pertencente ao território do Geoparque Caminhos dos Cânions do Sul. O roteiro foi
definido por meio de trabalhos de campo. Os critérios utilizados para definir os geossítios foram os valores atribuídos à geodiversidade, tal como científico, cultural, estético e funcional, além disso, acrescentou-se as condições de acesso e a infraestrutura. Como resultado é apresentado um roteiro com descrição de cinco geomorfossítios: 1) Cachoeira do Rio do Salto, 2) Paredão da Areia Branca, 3) Morro da Gurita, 4) Cascata do Padre e 5) Cachoeira da Cortina.

Palavras-chave: Geoturismo. Geomorfossítio. Patrimônio geomorfológico

MAPA GEOMORFOLÓGICO NA REPRESENTAÇÃO DO GEOPATRIMÔNIO DA ESCARPA E DOS PATAMARES DA SERRA GERAL NO GEOPARQUE ASPIRANTE CAMINHOS DOS CÂNIONS DOS SUL, SC/RS.

O Geoparque Aspirante Caminhos dos Cânions do Sul, localizado entre o estado de Santa Catarina e o Rio Grande do Sul, possui unidades geomorfológicas bem distintas. Dentre elas a Escarpa da Serra Geral e os Patamares da Serra Geral, que são abordadas neste trabalho. Este trabalho tem como objetivo representar geomorfossítios destas duas unidades por meio da cartografia geomorfológica. Os sítios selecionados são o cânion Itaimbezinho e o cânion Fortaleza na unidade Escarpas da Serra Geral e o Paredão da Areia Branca
nos Patamares da Serra Geral. O sistema de legenda geomorfológica do Servizio Geologico D’Italia foi adotado neste trabalho por ser elaborado para mapas de grande escala e possuir símbolos e cores que permitem detalhar a área de estudo. Os mapas foram construídos com base nos trabalhos de campo e fotointerpretação. Resultaram em três mapas, dois em escala 1:20.000 e um na escala 1:32.000, que representam a estrutura do relevo e os processos que os envolvem.

Palavras-chave: Cartografia geomorfológica. Patrimônio geomorfológico. Unidade geomorfológica.

Trabalhos, pesquisas e publicações