Biblioteca Virtual

Trabalhos, pesquisas e publicações científicas

Preparamos esta biblioteca virtual com o objetivo de ampliar a divulgação do conhecimento produzido no meio acadêmico sobre assuntos diversos relacionados ao território do Geoparque Caminhos dos Cânions do Sul.

Aqui, você encontra excelentes trabalhos acadêmicos, pesquisas científicas e publicações especiais. Os documentos reúnem informações qualificadas elaboradas por especialistas em temas como geodiversidade, biodiversidade, antropologia, arqueologia, paleontologia, educação, história, cultura, povos e comunidades tradicionais, entre outros.

Boa leitura!

The northernmost haulout site of South American sea lions and fur seals in the western South Atlantic

We present estimates of the seasonal and spatial occupation by pinnipeds of the Wildlife Refuge of Ilha dos Lobos (WRIL), based on aerial photographic censuses. Twenty aerial photographic censuses were analysed between July 2010 and November 2018. To assess monthly differences in the numbers
of pinnipeds in the WRIL we used a Generalized Linear Mixed Model. Spatial analysis was carried out using Kernel density analysis of the pinnipeds on a grid plotted along the WRIL. Subadult male South American sea lions (Otaria flavescens) were the most abundant pinniped in the WRIL. Potential females of this species were also recorded during half of the census. The maximum number of pinnipeds observed in the WRIL was 304 in September 2018, including an unexpected individual southern elephant seal (Mirounga leonina), and a high number of South American fur seal yearlings (Arctocephalus australis). However, there was no statistically significant difference in counts between months. In all months analysed, pinnipeds were most often found concentrated in the northern portion of the island, with the highest abundances reported in September. This study confirms the importance of the WRIL as a haulout site for pinnipeds in Brazil, recommends that land research and recreational activities occur in months when no pinnipeds are present, and encourages a regulated
marine mammal-based tourism during winter and spring months.

Arte e Natureza – Fonte de imaginação e criatividade.

Homenagem ao Dia das Crianças – Toca da Onça. Turismo, Meio Ambiente e Educação Ambiental.

HISTÓRIA ILUSTRADA: Relatos da cultura e história Mbya Guarani sob a ótica indígena.

Este projeto teve como objetivo desenvolver um livro composto por uma coletânea de histórias elaboradas por estudantes da Escola Indígena Nhu Porã, relatando o cotidiano da aldeia, de forma a preservar e perpetuar para a comunidade indígena, mas também disponibilizar para o homem branco o acesso a história dos índios da aldeia contada pelos próprios índios e não pelo homem branco ou “juruá”,como eles dizem.

Patrimônio histórico edificado dos caminhos das tropas na região do Extremo Sul catarinense

O artigo busca evidenciar os caminhos utilizados pelos tropeiros entre os séculos XVII e XX em 25 municípios localizados na região do extremo sul catarinense, por meio do registro de bens materiais relacionados à atividade tropeirista. Foi utilizado levantamento documental e bibliográfico pertinente ao tema bem como entrevistas e visita na área de estudo no intuito de coletar e registrar informações nas instituições municipais. Elementos do patrimônio construído foram registrados em 6 municípios, além de relatos de rotas de passagem no território. Os resultados possibilitaram perceber que o movimento tropeirista foi importante para o povoamento da região sul, além de contribuir para a integração entre as regiões.
Palavras-chave: História. Território. Patrimônio Cultural.

USO E COBERTURA DO SOLO NOS ARREDORES DAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO AMBIENTAL NO MUNICÍPIO DE CAMBARÁ DO SUL (RS)

Buscando apreciar a natureza e ao mesmo tempo preservá-la para as atuais e futuras gerações, as Unidades de Conservação – UCs – (Lei Federal °9.985/2000), independentemente da forma de manejo, representam áreas de grande relevância para a conservação da biodiversidade. Porém, pouco se conhece sobre o tipo de uso e cobertura do solo das áreas adjacentes as UCs. Além disso, dada a sua importância para a conectividade entre fragmentos florestais e consequente manutenção do fluxo gênico, as UCs não devem ficar isoladas em meio a uma paisagem antropizada. Desta forma, este trabalho faz uso de Sistemas de Informação Geográfica (SIGs) e dados de sensores remotos para mapear o uso atual do solo no município de Cambará do Sul/RS, o qual apresenta cerca de 20% da sua área inserida em UCs. Para atingir o objetivo proposto, foram utilizadas imagens do sensor OLI do satélite Landsat8, para a identificação das classes de uso e cobertura do solo, a saber: floresta nativa, campo nativo, agricultura, solo exposto, massa d’água, silvicultura, nuvens e área urbana. Os resultados indicaram que 75% da área do município apresenta uso natural (mata nativa e campo). Ademais, foi verificado que 15,66% da área municipal é ocupada por silvicultura, uma das principais fontes de renda e que favorece positivamente a economia local. Dessa forma, entende-se que não somente as UCs, que possuem amparo legal, estão conservadas, mas também as regiões fora das UCs, o que acarreta o fortalecimento do turismo rural e também a conservação da biodiversidade local.

Palavras-chave: Turismo; Uso natural; SIG; Geoprocessamento; Sensoriamento Remoto.

O USO DO TURISMO PEDAGÓGICO COM FOCO NA GEOEDUCAÇÃO NAS ESCOLAS DA REDE MUNICIPAL DE JACINTO MACHADO/SC

O presente trabalho foi desenvolvido a partir do estágio realizado na Secretaria de Educação, Cultura e Esportes do município de Jacinto Machado/SC, no qual, procurou-se diagnosticar as ações de geoeducação realizadas nas saídas de campo das escolas do ensino fundamental numa região candidata a Geoparque da UNESCO e através deste delimitou-se os objetivos para identificar os geossítios visitados e discutir como a metodologia de saída de campo está sendo utilizada no processo de ensino-aprendizado. Para a elaboração deste trabalho foi desenvolvido um questionário aplicado aos professores, a metodologia adotada foi de caráter exploratório e a abordagem quali-quantitativa, e para o embasamento teórico utilizou-se de pesquisa bibliográfica. Os resultados apontam que algumas ações de geoeducação estão sendo desenvolvidas, mas a etapa do planejamento não tem a participação dos alunos. Como propostas sugere-se a participação dos alunos para o planejamento e elaboração das saídas de campo e a construção de materiais didático-pedagógicos com foco na geodiversidade da região.

Palavras-chave: Geoparque, Geoeducação, Turismo Pedagógico, Saída de Campo

REFÚGIO DE VIDA SILVESTRE DA ILHA DOS LOBOS: FORMAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DO SEU CONSELHO GESTOR

A formação do conselho gestor de uma Unidade de Conservação (UC) é um processo democrático de exercício da participação social na gestão ambiental
pública, conforme prevista na própria legislação ambiental brasileira. O Refúgio de Vida Silvestre (Revis) da Ilha dos Lobos, localizado em frente a Torres, Rio Grande do Sul, foi decretado como UC federal em 1983. Entretanto, somente 33 anos após sua criação, a UC teve seu conselho gestor formado. O objetivo deste estudo foi registrar o processo de formação deste conselho, a partir de normas estabelecidas pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio – IN 09/2014), caracterizar o perfil dos conselheiros e conhecer suas opiniões em relação a alguns temas centrais da gestão da UC. As informações foram obtidas entre 2016 e 2017, a partir de três metodologias principais: i) análise documental de relatórios, atas e observação direta das reuniões realizadas; ii) aplicação de questionário com perguntas fechadas; e iii) entrevistas com os conselheiros de cada um dos setores que compõem o conselho. A formação do conselho envolveu mais de 50 instituições e ocorreu ao longo de dez meses durante 2016. Ao final deste período, foram
definidos nove setores que se relacionam com o território protegido pela UC e sua área de influência. A partir disso, foram definidas 22 vagas, respeitando-se uma relação de paridade entre instituições do poder público (n=12) e da sociedade civil (n=10). O perfil geral dos conselheiros é de adultos de meia idade, com elevado grau de instrução, residentes do município da UC e com experiência na participação em outros conselhos. A maioria dos conselheiros entende que a pesca ilegal dentro da UC e o conflito da pesca com os leões-marinhos são os maiores problemas da unidade. Segundo os conselheiros entrevistados, o principal papel do conselheiro seria subsidiar o conselho com informações técnicas, auxiliar na integração da sociedade com a unidade, e divulgar a importância do Revis. A preservação da biodiversidade local, incluindo os leões-marinhos, foi apontada como a principal finalidade da UC, enquanto o desenvolvimento de atividades de turismo ecológico e a implementação do plano de manejo foram apontados como alguns dos principais
desejos por parte dos conselheiros. No que diz respeito à participação, as reuniões ordinárias do Conselho realizadas em 2017 contaram com um quórum médio de 75,2%, valor superior ao observado em diversos conselhos de UCs do país. A partir desses resultados, o próximo desafio deste conselho é construir metodologias de monitoramento da atuação do próprio conselho no intuito de identificar as dificuldades e encontrar formas de superá-las para que o conselho seja também um espaço de construção e aprendizado e desta forma possa contribuir para a implementação da UC

Palavras chaves: unidade de conservação, gestão participativa, conselho gestor.

MOBILIDADE E ESCOLHAS DE MATÉRIAS-PRIMAS ROCHOSAS POR GRUPOS PRÉ-HISTÓRICOS CAÇADORES-COLETORES NA MICROBACIA DO RIO DA PEDRA. JACINTO MACHADO/SANTA CATARINA.

O estudo da exploração das fontes de matéria-prima está associado ao entendimento do espaço em diversos aspectos, dentre eles o Geológico,
Geomorfológico, Pedológico e Hidrológico. Este trabalho visa entender os critérios de seleção de matérias-primas aptas ao talhe de instrumentos localizados em dois sítios arqueológicos, geomorfologicamente distintos, localizados na microbacia do rio da Pedra, por parte dos grupos pré-históricos com hábitos denominados de caçadores-coletores, no município de Jacinto Machado, extremo sul do estado de Santa Catarina. Esta pesquisa está inserida dentro da problemática estudada no projeto Arqueologia Entre Rios: do Urussanga ao Mampituba, coordenado pelo grupo de pesquisa Arqueologia e Gestão Integrada do Território.

Palavras-chave: Captação de Recursos. Arqueologia. Aspectos Físicos. Caçador-coletor.

COMUNIDADES QUILOMBOLAS NA REGIÃO SUL DE SANTA CATARINA: RESISTÊNCIAS E LUTAS

A partir de alguns debates nas aulas de história da África surgiu a ideia de fazer uma pesquisa sobre as comunidades quilombolas no estado de Santa Catarina, onde o perfil eurocêntrico foi imposto à estas comunidades, tornando-as invisíveis, na construção sociocultural do estado. Assim, sentiu-se a necessidade de compreender: Como o conceito de comunidades quilombolas foi sendo modificado ao longo da história? Qual a importância das comunidades quilombolas para o reconhecimento da contribuição destes povos na formação da sociedade brasileira? Bem como, de que forma as comunidades quilombolas se colocam como espaço de visibilidade da luta pela terra? Portanto, esta pesquisa dialoga com Ratts (2006) na concepção de Beatriz Nascimento (2008) com o termo aquilombar-se, Albuquerque (2013) e Leite (2008) destacando a presença das populações negras em Santa
Catarina. Posteriormente apontamos as legislações que asseguram os direitos a essas comunidades, bem como o apoio do movimento negro e quilombola luta na direito da terra. Em seguida, nesta apresenta-se o mapeamento de comunidades quilombolas no Brasil e especialmente na região Sul, apresentando a comunidade quilombola de São Roque, município de Praia Grande – SC. Objetiva-se por meio deste estudo compreender o conceito de comunidade quilombola ao longo da história do Brasil; refletir sobre as legislações que envolvem as comunidades quilombolas; perceber a importância do movimento negro na luta por direitos e reconhecimento. Esta pesquisa se caracterizou por levantamentos bibliográficos acerca da temática que envolve a compreensão histórica das comunidades quilombolas. Percebe-se ao final da pesquisa que as comunidades quilombolas se constituíram como espaço de resistência, luta pela terra, afirmação de ancestralidade, práticas e saberes destas tradicionais.

Palavras Chave: Comunidade quilombola. Luta pela terra. Resistência. Saberes Tradicionais.

CAMINHOS DAS TROPAS NO EXTREMO SUL CATARINENSE: MEMÓRIA E PATRIMÔNIO

Este trabalho buscou contribuir com as discussões referentes as questões voltadas a ideia de patrimônio cultural, tendo como campo de análise o tropeirismo no Extremo Sul Catarinense. Na perspectiva da Nova História, na linha da história local e regional desenvolveu-se o referido trabalho de conclusão de curso. Foi a partir deste viés que se buscou dar ênfase aos trabalhos realizados num espaço geográfico que corresponde aos municípios da fronteira Sul Catarinense. Assim, delimitou-se uma área de estudos que localiza o objeto de estudo na região sul, sintetizado num projeto amplo e interdisciplinar intitulado “Arqueologia Entre Rios: do Urussanga ao Mampituba”. Tropeirismo e Caminhos das Tropas foram o objeto deste estudo, onde buscou-se estabelecer uma problemática sobre estudos referentes ao caminho das tropas e do movimento chamado tropeirismo. O que este deixou como herança material no extremo sul do Estado. Assim podemos pensar como o caminho das tropas se materializou e influenciou na formação das identidades culturais e patrimoniais dos municípios do Extremo Sul Catarinense.

Palavras-chave: Caminhos das Tropas. Tropeiros. Memória. Patrimônio. Extremo Sul Catarinense.

1 2 3 5

Trabalhos, pesquisas e publicações